Deseja se inscrever no nosso blog?

3 PASSOS PARA AJUDAR UM GATO ANSIOSO

Ansiedade em Gatos: um inimigo silencioso

A ansiedade pode ser definida como a antecipação de um evento negativo, que pode ou não ser real. Está fortemente ligada ao medo que é experienciado quando um individuo é confrontado com uma ameaça. No entanto, enquanto o medo é uma resposta direta a uma ameaça real, a ansiedade existe mesmo na ausência de um evento específico. 

Sabe-se que 89% dos gatos tem medo de pelo menos uma coisa, pelo que, o potencial para sofrerem de ansiedade continuada é grande

A melhor forma de ajudar o seu gato é ser um tutor informado. Saber como a ansiedade afeta os nossos gatos, permite-nos atenuar o problema. É por isso que Março foi oficializado como Mês da Ansiedade em Cães e Gatos, para consciencializar e ajudar os tutores a enfrentar a ansiedade para que possam dar aos seus gatos vidas ainda melhores.

3 PASSOS PARA AJUDAR UM GATO ANSIOSO

Imagem2

PRIMEIRO PASSO: identificar os sinais de ansiedade

Os sinais fisiológicos de ansiedade no gato incluem aumento da frequência cardíaca e respiratória, tremer, problemas gastrointestinais e infeções urinárias. No entanto, é natural que, para os tutores, estes sinais possam passar despercebidos.

A maioria dos tutores consegue dizer no imediato que o seu gato não está contente apenas com um olhar. Orelhas para trás coladas à cabeça, pupilas dilatas, olhar fixamente, lamber-se repentina e rapidamente e paralisar são sinais de linguagem corporal associada a ansiedade. Mas as estratégias comportamentais que o gato desenvolve para lidar com a ansiedade podem ser mais drásticas:

  • marcação com urina e urinar em locais inapropriados
  • lamber-se em excesso ou diminuição de higiene diária
  • vocalizações excessivas
  • mudanças no padrão de sono e alimentação
  • arranhar em novos locais ou com maior frequência
  • agressividade e mudança de personalidade
  • esconder-se ou ser fugidio
  • diminuição da interação social (menos brincadeira)

Imagem3SEGUNDO PASSO: identificar causas de ansiedade

Agora que já sabe quais os sinais de ansiedade no gato, pode ser que o comportamento do seu gato já lhe faça mais sentido. Se pensa que o seu gato é ansioso, é importante tentar compreender porquê e qual a causa de stresse e ansiedade.

Doença e Dor

A primeira coisa que deve fazer, se nota que o seu gato anda ansioso, é levá-lo ao veterinário. Doença e dor causam ansiedade no gato quer por antecipação – por exemplo, um gato que sofra de artrite pode antecipar que vai ter dor ao usar a caixa de areia – quer por diminuição da tolerância a outros possíveis fatores de stresse. É por tanto necessário certificar-se que tudo está bem com a saúde do seu gato antes de considerar outros possíveis motivos para a sua mudança de comportamento. Uma ida ao veterinário irá tranquilizá-lo a si e ajudá-lo a considerar outras causas de stresse.

Alterações na Rotina e Território

Os gatos gostam de ter o seu território controlado e de rotinas. São animais de hábitos. Por este motivo, qualquer alteração na sua rotina diária ou na disposição do seu território podem induzir ansiedade. Uma simples mudança de local de um móvel em casa, pode ser suficiente para destabilizar o seu gato. Situações mais obvias como idas ao veterinário, viajar, pessoas ou animais novos em casa, mudança de casa ou até mesmo mudança repentina da dieta, podem ser causadoras de ansiedade.

Interações Sociais Negativas

A presença de outros gatos, outros animais ou humanos que façam o gato sentir-se desconfortável ou sem controlo do seu território podem levar à antecipação de interações negativas e causar ansiedade.

A forma como nós, humanos, interagimos com o gato também pode ser um fator importante de ansiedade. Gritos e outros castigos, usados para desencorajar comportamentos indesejados, fazem com que o gato antecipe interações negativas. A ansiedade gerada por este tipo de interação será tanto mais generalizada quanto mais imprevisíveis forem os castigos.

Incorreta socialização

Entre as 2 e as 7 semanas de idade é o período perfeito para socializar o seu gato com todas as coisas que ele irá encontrar durante a sua vida. Durante este período os gatos aprendem quais as coisas que são normais no seu dia-a-dia e das quais não devem ter medo. Se o gato tiver experiências negativas durante este período, ou se não for exposto a determinadas situações/objetos de forma positiva, estas poderão ser uma fonte medo e ansiedade mais tarde na sua vida.

Imagem4TERCEIRO PASSO: prevenir ansiedade e ajudar gatos ansiosos

São vários os pontos a considerar quando queremos prevenir a ansiedade no gato ou ajudar gatos que já são ansiosos. Há que pensar nas suas necessidades como espécie e tentar ao máximo providenciar tudo o que necessitam para que possam praticar o seu comportamento natural.

Esconderijos e pontos de vigia

Embora esconder-se em excesso possa ser um sinal de que o seu gato está stressado, esconder-se por si só é um comportamento natural. Por isso, é importante que o seu gato tenha um lugar para se refugiar da confusão, onde se sinta calmo e seguro. Garanta que há esconderijos confortáveis e locais elevados alcançáveis pelo o gato por toda a casa. Os gatos gostam de estar em locais elevados para poderem observar e ter controlo sobre o seu território. Sentir que têm controlo e opção de fuga, pode diminuir os níveis de stresse do seu gato.

Rotina Previsível

Um ambiente razoavelmente consistente, no qual o gato sinta que está em controlo, reduz a possibilidade de ansiedade. Se tiver que fazer mudanças em casa, faça-as gradualmente para que o gato tenha tempo para se habituar às novas rotinas/mudanças. Coisas tão simples como uma mudança de alimentação ou na caixa de areia, podem ser suficientes para criar ansiedade.

Não se esqueça de ter zonas separadas para a caixa de areia e para o bebedouro e comedouro do gato. Além disso, a caixa de areia deve estar num local calmo, longe de possíveis interrupções (por humanos, outros animais ou eletrodomésticos) para reduzir a ansiedade que pode estar associada ao comportamento de urinar.

Interações com humanos e outros animais

Os gatos gostam de ser eles a iniciar e a terminar as interações. Eles gostam de sentir que têm escolha e estão em controle da situação. Por isso, devemos dar-lhes oportunidade para controlar quando se aproximam e durante quanto tempo mantêm uma interação. Tentativas de travar amizade com um gato ou manuseá-lo sem que ele consinta, podem causar ansiedade. É importante evitar qualquer castigo para reduzir comportamentos indesejados, pois isso só aumentará a ansiedade.

Imagem6

Terapia com feromonas

Não entre em pânico se seu gato parecer um pouco stressado, tente encontrar a causa de stresse e elimine-a, se puder. Fale sempre com seu veterinário e considere procurar um especialista em comportamento profissional se o seu gato continuar a mostrar sinais de stresse. O stresse a longo prazo pode ser emocional e fisicamente desgastante para os gatos. Considere usar um difusor FELIWAY CLASSIC para criar um ambiente tranquilo em sua casa. Os estudos mostram que as “mensagens de felicidade” que FELIWAY liberta, oferecem conforto constante e sensação de segurança ao seu gato, e podem aliviar o stresse e ajudar a melhorar o seu relacionamento.

 

Deixe um comentário

Deseja se inscrever no nosso blog?